português español english

Notícias

< Voltar

22 Mai 2017Fusões devem continuar crescendo

Os laudos estabelecem uma faixa de valor que serve como parâmetro para que as partes iniciem a negociação. As operações de fusão e aquisição somaram R$ 84,8 bilhões no primeiro semestre, volume 43% maior em relação a igual período de 2009. E, ao que tudo indica, ainda há muito espaço para crescimento, diz Alessandra Guardia, da consultoria com foco em transações societárias Hirashima & Associados.

Como as empresas devem se posicionar diante do crescimento do mercado de fusões e aquisições?

Com a ascensão das classes D e E, as operações devem levar em consideração esse segmento na hora das definições estratégicas. As empresas podem crescer de maneira orgânica, mas o avanço dos negócios é mais rápido com operações dessa natureza.

Quais setores devem ser os próximos alvos?

Devido aos grandes eventos esportivos, a Copa do Mundo e a Olimpíada de 2016, a área de infraestrutura receberá um importante volume de investimentos. O setor de energia em geral, incluindo etanol, também deve movimentar o mercado.

Qual o objetivo dos laudos de avaliação financeira das empresas?

As empresas listadas na bolsa devem cumprir exigências de órgãos reguladores, e entre elas está a elaboração do laudo de avaliação econômico-financeira por empresas especializadas. Esse laudo estabelece uma faixa de valor que serve como parâmetro para que as partes iniciem a negociação.

É comum a demanda pela elaboração de um laudo chegar em regime de urgência?

Os investidores têm pressa e essa demanda acaba pressionando os consultores para que agilizem a elaboração do laudo.

Geralmente as partes envolvidas, com interesses diversos, já se comprometeram com alguma data antes mesmo de contratar a empresa especializada para a confecção do laudo.

< Voltar